Naturalmente me entregando
São assim as palavras em meu pensamento
Aos poucos vou rascunhando
O que imaginava só palavras ao vento
Deito e penso, sem rimas mesmo
Falando sozinha,mas falando a esmo
Meu coração respondendo, corrigindo-me
Fale, mas fale de mim
As frases se formando, num instante escorregando
Pelos vão dos dedos, na caneta se formando
Poetar é como desenhar as curvas
É como detalhar aventuras
É um geito único de tomar pela mão quem lê
E permitir que mostrem a vontade de relê-las
A cada nova avaliação
Lá está o coração, vendo se aprova
Me pondo a prova e na costante dúvida
Deixo meu coração embaraçoso, duvidando

Vivi mesmo tudo isso?
Ou sonhei e estou acordando?
(Luna Intocável)bela dona

Anúncios

Como num caminho de cachoeiras
Robustos arbustos a se desenvolver
Minha alma bebe,  de tudo um pouco
Buscando o caminho florescer
Sou parte de águas distantes
Meio retulante, querendo aqui pertencer
Venho impulssionada, por águas bravas
Semente pequena no bico de um pardal
Jogada num canto qualquer
Levada pelo vendaval
Aguardando meu enraizar
Mas a força petulante das águas
Me levavam pela correnteza
Viajei por toda natureza
Até me esbarrar em terra firme
E não aproveitar a oportunidade
Seria um crime, pros meus dias
Alí desenvolvi, cresci
Alí mesmo eu me permiti
Uma planta selvagem
Transformada pela viajem
Mudando meus pensamentos
Meus conceitos
Aprendendo com suaves momentos
E com fortes ventos
Na queda livre de uma cachoeira
Percebi, que se alí eu não me acabasse
Não me acabaria em nenhum lugar…
Horas água, horas planta
O transformar me encanta…
(Luna Intocável)india

Eu me pouparia se soubesse
Você não me faria bem
Nem que você quisesse
Como se bastasse
Aquele pouco de ti que me oferece
Apenas noites a dentro
Com lençóis ardendo
Desejos sedentos
Um mal me fazendo bem
Um bem de momento
E depois, restava o lamento
Um hoje não posso
Amanhã talvez
Me quer logo, diga!?
Ou suma de vez
Eu pensava assim
E era só aparecer
E meus olhos não escondem
Estou muito afim
Ahah doce veneno
Que de tudo só resta lamento
Não me nutre em nada
Só, pensando e me arrependo
Me tornei imune a tantas coisas
Mas não consigo
Estar imune a você
Sem você, eu não fico…
(Luna Intocável)pintura de mulher

Aquele sentimento que não passa
Que na garganta engasga
Não desce nem sobe
Fica alí feito praga
Uma aguda vontade de chorar
De tomar uma estrada e andar
Andar sem rumo
Ver se sumo de tudo
Que não some de mim
Dias assim não passam
Chorar o dia todo
Só com esse sentimento tolo
Não é tristeza, mas é quase
Meio que frustração, que impasse
O pior é escutar sua vos repetidamente
Falando na minha mente
Palavras feito féu
Me dizendo, não estar tão envolvido
Gravou lá no meu tímpano
E fica me mordendo por dentro
Pena não terem inventado
Um antídoto pra esse veneno
Quando vai passar?
Me responda quem souber
Tira isso de mim se puder…
(Luna Intocável)menina luna 2

Ele não acreditou, quando eu dizia
Que estava cansanda,
Que estava por um fio
Eu era terra firme
De tão firme me fiz
Que de tudo ele fez
O tempo passou e
Tornei-me erosiva
Até que um dia resolvi
Não vou me importar mais
Pois pelo que vi
Era tarde demais
Não era só mais uma crise
Não ia passar
De erosiva a arenosa
Cansada de ser posta a prova
Estasiada de provar tanto
Agora não adianta, ele aí
Chorando aos prantos
Desesperado juntando
Toda a areia que me fez ser
Não serei mais inteira
Não compensa ser
Ou eu aproveito meus dias
Na beira do mar
Ou eu vivo o castigo
O péssimo castigo
De te amar
Hã melhor nem pensar…
(Luna Intocável)não sobrevivi

Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo, como tomar banho, colocar uma roupa, ir pro computador, sair pra compras e reuniões – se eu disser que foi assim, o que você me diz? Se eu lhe disser que hoje não foi um dia como os outros, que não encontrei energia nem pra sentir culpa pela minha letargia, que hoje levantei devagar e tarde e que não tive vontade de nada, você vai reagir como?  Você vai dizer “te anima” e me recomendar um antidepressivo, ou vai dizer que tem gente vivendo coisas muito mais graves do que eu (mesmo desconhecendo a razão da minha tristeza), vai dizer pra eu colocar uma roupa leve, ouvir uma música revigorante e voltar a ser aquela que sempre fui, velha de guerra.  Você vai fazer isso porque gosta de mim, mas também porque é mais um que não tolera a tristeza: nem a minha, nem a sua, nem a de ninguém. Tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma. Não sorriu hoje? Medicamento. Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.
(A.D)pintura 1

Estar em casa

Conversando com a Lua hoje
Pensando no amanhã
Disse a ela, enquanto ele não chega
Posso ficar aqui solitária com você
Pensar nos dias e nos por quês
Noite adentro que segreda
Longe posso ir nesta noite
Perguntei a ela
E você, pra onde iria?
Ela me disse, nunca pensei nisso!!!
Sou feliz aqui
E bem rimos e
Eu disse, somos mesmo parecidas
Eu também
Sou feliz aqui…
Só fica a martelar
Se em um outro lugar
Eu poderia estar
Se outras coisas
Eu poderia estar fazendo
Enfim dúvidas ocultas
Até que pensando bem
A Lua tem razão
São birutices que passa
Melhor mesmo é estar em casa…
(Luna Intocável)noite

Como se tudo se resolvesse
Como se o tempo apagasse
Aqui estou,
Com uma última taça de vinho
Mergulhando em delírio
Esperando a campanhia tocar
Esperando sei lá, você voltar
Mas nada, nada acontece
Apenas amanhece e
Aqui estou,
Minhas inquietações
Esperando por ligações suas
Te vendo em qualquer rosto na rua
Complicado demais
Eu ser assim, podíamos ser normais
E olha só o que faz
Pequenos instantes banais
Se tornaram fatais
E eu, bem eu
Aqui estou,
Sem saber se fico
Sem saber se vou…
(Luna Intocável)vinho-mulher

Ao longo de uma estrada
Andar e andar e
Perceber que estava errada
Parte de mim a tanto
Tanto tempo ignorada
Como pude não ver?
A sensação de estar submergida
Com a mente toda confundida
Puxa o que eu quero?
O que espero?
Grita meu peito e não tem mais jeito
Preciso passar esse efeito
De culpa de ter me abandonado
Me deixado de lado
Melhor levantar das águas
Aquelas traiçoeiras águas
Me resgatar, retornar da estrada
Tomar outra direção
A qual indica meu coração…
(Luna Intocável)eu em pintura

Como o murmúrio dos ventos
Estando a me deixar levar
Peço que leve meus lamentos
Pra aqui não mais enraizar
Vai pra longe, pra lá dos montes
Não quero viver os ontens
E quando retornares
Pra beijar meu rosto
Que eu veja novos olhares
Que eu veja o oposto
De todos os dias vazios
Do qual me abasteci
Que os ventos venham renovados
Com novos aromas, que sejam variados
E que a Esperança chegue
Por todos os lados…

(Luna Intocável)

sombra de anjo